Artigos científicos

1. A Conceção regiana de Ironia:António Flávio Marques Pereira
1.1. Fernando Pessoa e o nosso Provincianismo
Capítulo extraído da dissertação de Mestrado “José Régio e a Ironia enquanto Vocação” orientada pelo Prof. Doutor António M. Feijó.
FLUL-Programa em Teoria da Literatura

O gesto criador em José Régio: Isabel Cadete Novais
Número especial e comemorativo da internacionalização da Revista Metalinguagens – Humanidades, Linguística e Letras
Volume 7, número 3. Portugal, tem a organização da Profª Drª Annabela Rita (Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal)
e Profª Drª Isabel Ponce de Leão (Universidade Fernando Pessoa, Porto, Portugal).
São Paulo, dez.2020.
pp. 168-184

José Régio, leitor de Mário, ou o triunfo da sinceridade do artista: Enrico Martines.
in, Quando eu morrer batam em latas- Mário de Sá carneiro – cem anos depois
org. Giorgio di Marchis
pp. 65-76

Maria Aliete Galhoz – Apontamento às “Histórias de Mulheres” de José Régio.
Uma edição do Círculo Cultural de Estremoz.
Lisboa, 1971
pp. 6-28.

Revista Lusíada – N.º 9, Vol. III, Separata.
Porto, 1956
Óscar Lopes ” A obra de José Régio-Ensaio crítico seguido de um Inquérito ao autor criticado ”
pp. 5-23.

Revista Brotéria – N.º 5, Vol.141
Lisboa, 1995
Maria Helena G. Leal Vieira -“Jacob e o Anjo, de José Régio – Um círculo à volta do Mistério”
pp. 413-425